ELA

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

E quem hoje é ela? Sei que nela crescerá a trepadeira, apenas uma, de rosas brancas; espinhos pretos. Não poderia nunca esperar outra Planta que apaga o cerco. Cercada. A cruz cimentada, pouco a pouco exposta garante a rega. E a poda. Ela é liturgia dos minutos do êxtase. Andrea Costakazawa

DEVAGAR

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

Enfim desci aqueles degraus e pude enxergar através das teias. Estava frio.  Vi meu nome quase apagado, sobravam marcas; naturalmente.  Arani Pimenta foi o que li. Acendi as luzes, do meu ser. Devaneei. Meu corpo, sem peso, vagou por zonas, desprovido de costumes.   Ora ele, ora ela.   Nem precisei jogar porcas com amarras, […]

3 CANTOS DE UM SABIÁ

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

Canto I. Do matizado. Não há diferença num túnel, senão ao entrar; escapar. E conhecer a mulher, assim como o verde lagarta. Não há um sentido rodado, 110, 90 ou 33. Após o mar nublado. Treze cantos e treze parábolas. Não há lacres rompidos, apenas. Dos sonhos guardados outrora. Guardadas as devidas proporções. O cantar […]

POLITICA DA ARTE

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

Eu só quero viver da minha arte… Seja varrer as lideranças, ou gritar contra ignorâncias. Será pedir muito? Sem tristeza, sem pobreza, sem lágrimas. Luta povo brasileiro. Viver, ainda assim felicidade, viver suavidade viver intensidade. Vem meu país trazer o que teu povo pede, seja a fome seja a peste, mata os que teu seio aflige, muda […]

AO CAMINHO, DESCAMIHOS

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

  Ao caminho, descaminhos.: para Andrea Costakazawa     Evandro Alves Maciel   “Fazer poesia é como pegar uma cobra pelo rabo e, eventualmente, ser picado”.   Teu chamado produz em mim considerações insólitas. Minha capacidade de fabulação me faz crer nessa afirmação. Poderia supor que cada criação nossa é a expressão de uma ilusão […]

“ERA DE TOURO”

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

Amanhece outra vez e a luz do sol das 6 horas de um inverno caldo me faz fechar os olhos em face direta. Sinto profundamente que o guardado anterior já não mais aborrece, apenas ilumina a superfície em branco. O campo abre-se à forma bela e também ao meu entendimento, necessário. Os acontecidos que foram notáveis por conta […]

MORANGOS SILVESTRES

Posted on Leave a commentPosted in ArsA Pensante

Todos gostamos de morangos silvestres. Creio que não há um único ser que tenha conhecido esta fruta através da sua graça, que não tenha com certeza pensado: isso deve ser fabuloso! É um gosto ser… É um gosto… Único! MORANGOS FLORIDOS Não cheira os teus cheiros. Cheira como a papoula em teus olhos. Perfuma como […]